domingo, 8 de junho de 2014

Estes europeus colonizados


J.-M. Nobre-Correia
Thomas Piketty : Jornais portugueses debruçam-se finalmente sobre um livro capital publicado há 9 meses em Paris, só porque está a ter um enorme sucesso nos Estados Unidos…

Já lá vão quase 20 anos, Furio Colombo, ex-professor da nova-iorquina Columbia University e ex-diretor do diário romano L’Unità, publicava um livro interessante : Ultime notizie sul giornalismo (Laterza, 1995). E explicava que, “a maior parte das notícias do mundo vêm, é notório, de fontes americanas. Isto é verdade em dois sentidos : porque a poderosa máquina americana da informação difunde no mundo mais notícias sobre o próprio país do que qualquer outra fonte seja capaz de fazer, mas também porque as notícias de qualquer outro país só passam a ser mundiais quando se tornam notícias americanas” (p. 24).

O caso do livro de Thomas Piketty, Le Capital au XXIe siècle (Seuil), constitui uma perfeita ilustração desta análise. Publicado em França em 5 de setembro do ano passado, Le Monde consagrou-lhe duas páginas em 30 de agosto. Uma paginação justificada pelo facto que o livro seria “o mais importante do ano — e talvez do decénio” no entender do Nobel da economia Paul Krugman. Não impede que os média europeus só o tenham descoberto quando a tradução se transformou num enorme sucesso de vendas nos EUA !

Deste lado do Atlântico, a existência de Piketty foi descoberta graças às crónicas que Krugman publica no New York Times e são fielmente reproduzidas por vários jornais europeus ! Só depois do sucesso nos EUA é que jornais tão importantes como o italiano La Repubblica ou o espanhol El País se debruçaram há poucas semanas sobre o livro. E, é claro, os portugueses fizeram-no ainda com mais atraso : só na semana passada é que a Visão, o Expresso e o Público lhe deram a devida importância.

O caso da Visão é aliás trágico-cómico. As páginas consagradas a “Marx 2.0” (sic) são quase unicamente uma mera tradução do magazine estado-unidense de direita Time (quando Visão se quer ou queria de centro-esquerda). E a capa do livro reproduzida é a da edição estado-unidense ! Triste mentalidade esta de subdesenvolvido culturalmente colonizado que reina no nosso meio jornalístico português…


Texto publicado no Diário de Notícias, Lisboa, 31 de maio de 2014, p. 43.