sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Outra abordagem da atualidade


J.-M. Nobre-Correia


Para que novos tempos políticos e sociais sejam viáveis, é essencial uma nova conceção da informação

Nenhum poder político pode realizar obra duradoira sem média de informação que lhe sejam globalmente favoráveis. E as probabilidades serão ainda mais escassas se o sistema mediático lhe for notoriamente hostil. O que é o caso quando o poder político se quer norteado por princípios de justiça social e os média são largamente orientados por uma ideologia conservadora pretensamente neoliberal…
Não quer isto dizer que um poder político progressista precise de uma informação “oficiosa” e muito menos às ordens ! Mas os cidadãos têm que dispor de uma informação realmente pluralista, concebida de modo diferente do que era habitual. Fruto de uma seleção judiciosa de factos socialmente significativos que ocorreram. De uma hierarquização que dê prioridade à incidência desses factos sobre a vida quotidiana dos cidadãos. De uma tratamento jornalístico capaz de factualidade, perspetivação e interpretação de qualidade dos acontecimentos.
Ora, em Portugal, os média dominantes propõem-nos sobretudo futilidade e mediocridade. Há pois que conceber novas iniciativas e novos modos de proceder, para que os novos tempos políticos e sociais sejam realmente viáveis…


Texto publicado no blogue A Vaca Voadora, Lisboa, 14 de outubro de 2016.

Sem comentários:

Enviar um comentário