quinta-feira, 5 de abril de 2018

O respeitinho é muito bonito !

J.-M. Nobre-Correia
Fundão : Quando os leitores de um blogue são particularmente  numerosos, abstendo-se no entanto cuidadosamente de assinalar uma presença e de manifestar uma opinião…
Dentro de precisamente um mês, este blogue fará quatro anos. E até agora, o texto que teve mais sucesso foi um sobre a noção de censura (“Uma indesejável confusão”). Só que este texto foi publicado em 30 de julho de 2015 e já foi retomado no Facebook por ocasião do primeiro e do segundo aniversários da sua publicação, multiplicando por conseguinte as consultas. E trata-se de um texto que interessou certamente estudantes e professores de jornalismo, o que explica o seu sucesso.
Porém, logo a seguir, em vias mesmo de ultrapassá-lo, vem o texto sobre o Jornal do Fundão (“Em fase de grandes manobras” [1]) publicado há apenas três semanas, em 14 de março. E o texto publicado anteontem (“Esta terra merece melhor…”), em  3 de abril, aproxima-se a passos largos dos dois textos evocados.
No entanto, e muito curiosamente, estes últimos dois textos, se bem que muito consultados, dão lugar a muito poucos “gosto” e ainda menos “comentários”. O que quererá significar três coisas : que, no fim de contas, os textos sobre o Fundão interessam muitos leitores deste blogue ; que estes leitores se interessam particularmente por uma leitura crítica da vida da cidade (e não à l’eau de rose como lhe propõem os média locais) ; mas daí até manifestarem publicamente, aos olhos do mundo, que gostaram e que até têm comentários a fazer vai uma grande distância…
Este último aspeto leva a concluir que a “cultura” do salazarismo, com o respeitinho imposto às instituições e aos “notáveis” da terra, deixou profundas marcas no comportamento das pessoas. E que, quase 44 anos depois, os cidadãos continuam a considerar que mais vale viver arredados de assuntos que deveriam democrática e civicamente interessar-nos a todos. De modo a que os pequenos potentados locais [2] não continuem a impor-nos soberanamente as suas decisões arbitrárias e os seus atentados à legalidade…



[1] Ver também « Era uma vez o ‘Jornal do Fundão’ », in Notas de Circunstância 2, 8 de fevereiro de 2018.
Ver ainda “Em vésperas de vida nova…”, in Notas de Circunstância 2, 28 de fevereiro de 2018.
[2] Ver « Dos pequenos potentados locais… », in Notas de Circunstância 2, 15 de fevereiro de 2018.

Sem comentários:

Enviar um comentário